quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Sem Máscaras....





Pessoal, relaxem que eu não deixei o blog de lado... Só estava criando maturidade e coragem para escrever esse texto de uma forma completa...
Vou contar quem eu já fui, quem eu sou e por o que eu já passei nesses meus anos de vida.
Tudo começou antes de eu completar um ano de vida, eu fui adotado praticamente tirado da rua, tive uma infância normal, único diferente era que eu sempre fui calmo e no meu canto.
Minha vida deu uma mudança no ensino médio, é la que você tenta dar um rumo pra sua vida, descobre o que quer para começar a construir seu futuro, tem suas emoções e sentimentos no pico mais alto que pode ter... 
Foi no Ens Médio que tive a pior e perturbada noticia que me assombra e me tira o sono ate hoje. Quem me conhece pessoalmente sabe que sou uma pessoa muito na minha e fechado, calado, só fiquei assim por causa da noticia que tive que descobrir do pior jeito pois ninguém queria sentar comigo e me contar, tive que pesquisar e descobrir o que iria mudar dali pra frente, e a noticia foi que meu pai tava com Alzheimer, isso fedeu comigo (desculpe o palavreado, mas foi única palavra pra descrever tamanho sofrimento que tive e ainda tenho), vocês não tem ideia do que e perder um pai, o único e verdadeiro amigo que um filho pode ter, e não ele não morreu, mas para quem não sabe o que a doença faz, ela simplesmente vai diminuindo o cérebro e "queimando" os neurônios, com isso a pessoa vai perdendo a memoria, a fala, não conseguir mais andar, comer, ir ao banheiro, resumindo vira um bebe grande. 
No começo da doença eu não tava entendo nada o que estava acontecendo dentro de casa, só via e escutava pessoa comentando e chorando, e ninguém ao menos olhava pra mim e me contasse o que estava acontecendo,  depois de um bom tempo, ouvi o nome da doença e fui ler um pouco sobre ela, descobri cada coisa, cada sintoma, cada fase da doença, isso acabou comigo tanto fisicamente quanto psicologicamente, foi nesse momento que demonstrei sinal de fraqueza, e vi que ninguém se importava muito comigo, que já tinha perdido a pessoa mais importante pra mim, com isso fui me fechando cada vez mais, cada vez ficando mais triste, tentava fazer de tudo para isso sair da minha cabeça, apelei ate o ponto mais surreal usei o que eu tenho de fé, pedindo para eu trocar de lugar com ele, pois o que ele fez enquanto tinha inteligencia não merecia passar por aquilo. Ate que um certo dia tristeza, esse sofrimento foi mais forte que eu, me desmoronei e já estava cansado daquilo e por incrível que pareça eu pensei ate me matar mesmo, foi uma ideia que ficou um bom tempo na minha cabeça por um bom tempo, estudava e pesquisava os tipos mais comuns e o motivo principal para uma pessoa se matar, cada texto que eu lia alimentava mais essa ideia, pois sempre batia o que o pessoal escrevia na minha situação. Só que eu fui mais forte, não sei como, parei pra pensar um pouco e vi que la em casa já tava um sofrimento terrível por causa disso, e se eu me matasse esse sofrimento iria ficar maior, eu ia ser um fraco, um lixo que não soube ser homem o suficiente para levantar a cabeça bater no peito e falar Eu Aguento. Dei a volta por cima e ate hoje estou superando isso, sendo homem, honrando as coisas que ele me mostrou e me ensinou. 
Esse e o motivo de eu ser muito fechado, uma coisa que meu pai sempre fazia e o que eu mais aprendi e faço e deixar meus problemas de lado e ajudar quem esta na minha volta, acho que o sorriso de outras pessoas me ajuda a esquecer meus problemas e aquela recompensa que não tem preço. Quanto menos pessoas souberam dos seus problemas mais fácil sera de arrumar. 
Agora eu estou mais maduro e mais consciente, conseguindo assumir e acabar com a maioria dos meus problemas, vivendo e aprendendo a ser gente. Mas as vezes quero aquele momento só eu e eu, deixar tudo de lado e só. Aprendi a confiar em algumas pessoas e a confiar em mim mesmo, acho que isso e o mais importante para qualquer pessoa.
Demorei a escrever sobre mim porque e um assunto muito delicado, não quero assustar ninguém e não quero que ninguém tenho dó de mim, as vezes só um abraço já resolve tudo. Só quero me revelar, quem sou eu, acho que isso e o que a maioria queria saber, as vezes falar um pouco de você mesmo te deixa mais leve, compartilhar o que você guarda a muito muito tempo... Cansei de guardar essa tristeza, magoa, começo e termino de uma pequena mais grande depressão, o que eu mais queria e agora estou e de cara limpa, mascaras nunca mais...  



Encontra o caminho aquele que rompe as próprias mascaras e,
encara a verdade sobre si mesmo.
Experimenta a amplitude de sua vulnerabilidade e age
superando-se continuamente 



Seguidores